Entrevista com o Estilista José Gayegos

09/12/2015

 

 

Tive a honra de bater um papo com  um dos ícones da moda no Brasil. 

 

Conheçam um pouco da história desse grande profissional!

 

 

 

Como foi seu início de carreira como estilista?

 

R: Em 1966 como assistente do costureiro Dener.

 

 

 

Você pôde conhecer de perto o trabalho do Dener. Fale um pouco sobre essa época e como era sua relação com ele.

 

R: Foi uma época maravilhosa, de muito aprendizado e sonhos e nossa relação continuou, mesmo depois de eu decidir fazer minha carreira solo. Ele era uma pessoa  generosa, gostava muito de mim e nossa amizade durou até sua morte. De uma certa forma, me sinto herdeiro espiritual e profissional dele.

 

 

 

Depois de quanto tempo você montou seu próprio ateliê?

 

R: Dois anos.

 

 

 

Que celebridades  você vestiu durante esse período?

 

R: Tonia Carrero, Suzana Vieira (na novela Pigmalião 70), Hebe...

 

 

 

Quais foram os maiores nomes da moda, em sua opinião?

 

R: Balenciaga, Chanel, YSL, Courrèges, Cardin, Thierry Mugler.

 

 

 

Com o que um estilista deve se preocupar ao criar uma roupa?

 

R: Público alvo e possibilidade de uma boa execução.

 

 

Como funciona a criação de uma coleção?

 

R: No meu caso, escolho os tecidos . Eles é que dão o direcionamento do que devo fazer. Tenho  pavor de pretensões pseudo artísticas. Como disse KL, “não faço arte, faço roupas”.

 

 

Quais os desfiles que você participou?

 

R: Dezenas, mas o mais importante foi o da FENIT de 1969 que me abriu todas as portas, inclusive as da TV Globo.

 

 

A moda já teve seus dias de glória em relação ao mercado de uma forma geral (nacional e internacionalmente).  Como você define a moda atualmente?

 

R: Mais marketing do que moda.

 

 

Como surgiu seu trabalho no SENAC?

 

R: Recebi um convite pra reorganizar os cursos de moda. Me deram todo apoio necessário. Trouxe a Esmod para o Brasil. Digo, sem falsa modéstia, que o ensino de moda no Brasil se divide antes e depois de José Gayegos.

 

 

Quais trabalhos você realiza atualmente?

 

R: Faço palestras, consultorias e, de vez em quando, roupas pra amigas que insistem e mantenho a memória do Dener , cuidando do acervo e fazendo  exposições.

 

 

Dizem que você  “Não tem papas na língua” e que apesar de muitos amigos, criou também grandes desafetos em sua trajetória . Você concorda?

 

R: Dizem?  Deve ser verdade (risos).  Cada um tem a opinião que queira a meu respeito, assim como tenho sobre meus eventuais “desafetos”.

 

 

Daria alguma dica para quem está começando a carreira no mundo da moda?

 

R: Seriedade no trabalho, muito esforço e pouca “viadagem”.

 

 

 

 

 

 

Please reload