Entrevista Com O DJ Gu

22/06/2016

 

 

 

Quem não se lembra do DJ Gu, que fervia com o melhor do Techno em diversas casas noturnas bafônicas , que fizeram história na zona leste de SP?

 

Ele  fez parte de uma época histórica  do Underground , levava os Clubbers à loucura , com seus sets eletrizantes,  sempre muito  animados e colocava a pista abaixo.  

 

Não tinha quem ficasse parado , quando " Esse Cabra" subia na cabine! A galera já gritava da pista , para que ele tocasse seus Hits preferidos!

 

É com muita alegria , que recebo esse querido por aqui! 

 

Seja bem vindo, DJ Gu!

 

 

 

 

 

O que você fazia antes de se tornar DJ e como aconteceu seu” Start” na cena eletrônica de SP?

 

R: Comecei minha história como DJ muito cedo, no final dos anos 80.

Naquela época, eu já arranhava uns discos  e trabalhava em uma empresa de sonorização, onde adquiri muita experiência.

Em 1994, recebi o convite do Oswaldo Oliveira, para ser residente da Sound Factory Penha, ali dei meu primeiro Start.

 

 

Você teve oportunidade de tocar e ser um dos residentes de algumas das casas noturnas mais bafônicas da Zona Leste, que fizeram história na noite paulistana. Fale um pouco sobre esses trabalhos.

 

R: Na verdade as minhas residências na Zl foram a Moving Dance Club em 1992,  Sound Factory (Penha) em  1994, e OverNight em 2.000, no qual tenho muito carinho.

Também passei por vários outros Clubs em SP , como: Sound Factory (Pinheiros), Espaço Nation, Lov.e Club, Pix, Stereo (Hj Atual D-Edge) Manga Rosa, Kiwi SC e Moloko (Guarulhos).

 

 

 

E que projetos e grandes festivais você participou, que deram mais visibilidade ao seu trabalho?

 

R: Sem dúvida nenhuma , o maior projeto foi a loja Techno Records, a qual me abriu muitas portas.

Uma pessoa em especial que eu agradeço muito, é meu amigo (Irmão) Márcio Zamzi, foi ele que me convidou para trabalhar na Techno Records, e Edinei (dono), por acreditar no meu trabalho.

 

Naquela época eu estava desempregado, e a partir dali fiz muitos contatos e ótimas  oportunídades surgiram.

 

Em relação aos  festívais , toquei em um Super Festival na Colômbia em 2001 (Love Parade),Parada Ame ( ano de 2000 e mais uns 3 anos seguidos) e Skol Beats , onde participei de 4 edições  (2001, 2002, 2003, 2006).

 

As Raves, na época também me deram bastante visibilidade - (SP Groove, Circuito e Patrol)
 

 

 

Quais os Hits que você mandava para a pista e que fazia a galera ferver?

 

R: Nossa, tantos hits ! vou citar alguns que marcaram cada residência, pode ser?
 

X-Press 2 – London X-Press

R. Rash - Smoking Jakkit

The Blunted Boy Wonder – Metropolis

Jeff Mills – Late Night

Vainqueur - Lyot (Maurizio Mix)

Rob Litle – Pulsate (Dj Hmc Remix)

Floorplan - Funky Souls

Jack De Marseille - Got To Believe

Matheo Murphy - Azimuth

Luke Slater - Body Freefall, Electronic Inform

 

 

Quais foram seus parceiros de cabine durante toda a sua trajetória como DJ e qual a importância que tiveram n sua carreira?

 

R: Parceiros nas residências dos Clubs - Eduardo Gkd, Ilya Simioni, Márcio Zamzi, Julião, Andy, Erik Caramelo, Dabolina, Marcelo Mendes (Maradona).

 

Parceiros- Clubes SP e festas itinerantes: Marky, Mau Mau, Renato Cohen, Alex S, Camilo Rocha, Fabricio Peçanha, Anderson Noise, Murphy Snoopy, me desculpem se esqueci de alguém!

 

Todos eles, tiveram muita importância para mim e  tenho muito respeito e admiração por cada um.

 

Sempre trocávamos figurinhas e dividimos muitas experiências juntos.

 

 

 

O DJ Luana Malu Cat , era figura icônica da cena underground e também dividiu a cabine com você na Sound Factory e na Overnight.

Quem era o Luana pra você e como era trabalhar com ele?

 

R: Eu conheci o Luana, juntamente com o Nagel, no final dos anos 80 e começo dos anos 90, em uma balada no Gonzaga - Litoral SP.
Ele era sem dúvida, muito divertido e de personalidade forte, nåo tinha como não gostar dele.

 

Quanto a  tocar, era bem engraçado quando ele tocava os Malu Cats Hit's, a galera ia a loucura (risos).

 

 

 

Atualmente, alguns projetos de música eletrônica , realizam os famosos “ Revivals “ e” Back To The Dates”, relembrando os antigos sucessos do Underground e reunindo o público que curtia essa época. Do que você mais sente saudade, já que fez parte dessa história?

 

R: Eu tenho um carinho especial por todos esses clubes por onde passei, mas em especial a matinê da Sound Factory Pinheiros, onde eu dividia a cabine com o Simioni.


Era uma vibe sensacional, onde jamais vou esquecer, a galera já chegava na vibe, era gritaria do começo ao fim, super alto-astral.
 

 

 

A Techno Records ,era uma das lojas mais bem frequentadas por diversos DJs e pelo próprio público admirador da E-music em geral. Ela ficava localizada  dentro da  Galeria Ouro Fino, e você fez parte durante um longo período. Como era seu dia-a-dia lá?

 

R: Foi maravilhoso! Foi o  melhor emprego diurno que eu tive, trabalhava com o Zamzi, Adriano e Edinei, numa época de ouro do Techno, onde vendíamos muitos discos para os Djs de SP e também enviávamos para os quatro cantos do Brasil.

 

Quando chegava mercadoria, era uma loucura! ligávamos para todos os Djs e a loja bombava!

 

 As Coletâneas de Cd's ,não ficavam para trás, com a onda que teve de lounge, como : Hotel Costes, Budda BarHedkandi , as prateleiras não paravam cheias.

 

                                                                                                                     Great Times!
 

 

 

A Parada Ame, era uma das festas mais aclamadas pelos Clubbers  de SP. Muitos vinham de outros Estados ou até, de outros países, só para participar da festa. 

Você foi um dos DJs que teve participação em diversas edições do evento. Como surgiu o convite e o como foi tocar em um evento de música eletrônica  dessa proporção?

 

R: O convite surgia geralmente para eu participar , nos carros das baladas que eu tocava , como por exemplo, o carro da Skol Beats, Rave Circuito e Clube Lov.e .


Vibe incrível, vários momentos inesquecíveis!

 

 

 

Você se afastou das cabines em SP por um período. O que fez durante esse tempo?

 

R: Na verdade, do ano de 2006 á 2010, eu morei em Santa Catarina.

Ali eu tocava em vários lugares, como: Balneário Camboriú, Floripa, Blumenal e Joinville.

 

 

 

Quais são seus projetos atualmente?

 

R: Hoje sou Residente do Projeto Cro.Can.Te do meu "Amigon" Simioni, festa muito divertida por sinal. 

 

Outra paixão é a produção musical, onde atuo há  13 anos, assino as tracks, ministro aulas (além do curso de DJ), também dou aulas de produção .

 

Aliás, tenho  um projeto novo que sairá em Setembro.

 

 

 

Gostaria de agradecer alguém em especial e ao público que acompanha seu trabalho durante toda a sua trajetória?

 

R: Uma pessoa no qual eu serei eternamente grato, é meu amigo Oswaldo, que me colocou  em seu (Grande Clube), a Sound Factory, que fez toda diferença na minha carreira profissional e a todos os amigos que citei acima.

 

Agradeço também  o Alex S, que  foi quem me colocou no Circuito das Raves .


E Principalmente ao público , que  acompanha meu trabalho até hoje, e prestigia  as festas , curtindo ao máximo .

 

                                                                                           Sem o público, não somos nada!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                                             Confira a galeria de fotos!

 

 

 

 

 

Please reload