Entrevista com DJ Gilson Santos

24/09/2016

 

A música eletrônica Gospel está no mercado cerca de  15 anos e vem crescendo a cada dia com novos DJs , produtores , diversos segmentos e vertentes relacionadas á música eletrônica, remix de louvores de cantores evangélicos famosos , como: Bruna Karla, Aline Barros , Fernandinho, Talles Roberto e muitos outros.

 

Milhares de jovens voltaram a frequentar  os templos evangélicos  por conta das reuniões e eventos da E- Gospel Music realizados nas igrejas atualmente, que diferente das casas noturnas convencionais, não é permitido bebida alcóolica  e tem como intuito , mostrar aos jovens que  fé em Deus, diversão e música boa, podem sim andar juntos!

 

Bati um papo com uma das figuras mais carismáticas e que representam o Drum N Bass no segmento gospel no Brasil.

 

Welcome, DJ Gilson Santos!

 

 

 

 

 

Como iniciou seu trabalho no cenário musical eletrônico?

 

R: Minha historia como DJ iniciou-se em 1994, eu frequentava algumas casas noturnas juntamente com os amigos: DJ Renato (Rjay), DJ Fabinho BW, DJ Caniba (Claudio Cavalera), e posteriormente também tocamos juntos em alguns locais e pude adquirir mais conhecimento e experiência para exercer o que mais amo. Eu era conhecido como DJ Simpson, meu estilo musical era a Black Music.

 

Em 1996, comecei a freqüentar a  Sound Factory e o estilo que predominava ali era a música eletrônica. Conheci e me apaixonei pelo Drum N Bass, onde me aprofundei para adquirir conhecimento e passei a investir e me dedicar profundamente.

Na época, fiz uma parceria mega especial com o DJ Anderson , que era um grande amigo.

 

No início, fiquei um pouco á sombra do Dj Anderson, ainda que fizéssemos o Play List juntos, eu deixava sempre que a maior parte do tempo ele tocasse, até porque ele tinha mais desenvoltura  com a galera. 

 

Eu comprava discos e ele tinha os equipamentos, que eram: 1 par de toca discos CCE DB250 e Mixer Chorus e a partir de então, fomos crescendo  e nos apresentando em diversos lugares, fidelizamos um público grande que era apaixonado pelo som. 

 

Certa vez, tocamos em uma festa para amigos próxima á lendária Toco onde o DJ Marky  tocaria no dia, mas pelo fato de sermos conhecidos pelos mesmos frequentadores da casa, esvaziamos a Toco, literalmente (risos).

 

 

 

 

Quais foram os locais que você tocou na época?

 

R: Toquei no Agito, Laser, Califórnia, Elite Itaquerence, e algumas Raves.

Naquela época, tive o prazer de trabalhar com duas equipes de som: Black Music e Black White, o alvo foi certeiro e as casas atingiam lotação máxima de público.

 

Em 1997, participei de um campeonato em uma Casa Noturna no Itaim Bibi chamada CHA CHA CHA, o vencedor do campeonato, foi o Dj Raposão. Foi uma experiência gratificante, pois o evento pertencia á agencia do DMC Brasil.

Durante o evento, conheci o DJ Ricardo Medrando, que foi fundamental na minha trajetória como Dj e em seguida entrei para a agência do DMC.

 

Quando a agência fechou, fomos para a Fieldzz do DJ Irai Campos, onde fiquei lá  por um bom tempo.

 

Fui Dj residente da Casa Noturna Bety Bomm  do próprio Dj Ricardo Medrano,  tive oportunidade de tocar com grandes artistas como:    Mau Mau, Marky, Andy , Renato Lopes, Luiz Pareto, Andrea Gram, Lika Marques, Julio Torres, Jason Brali, Pixote, Animal, Mc Jack, Ramilson Maia e vários  outros.

 

Parei de tocar  por um período , que foi de 1999 a 2002, voltando em março de 2003.

 

Em 2003 fui residente na casa noturna Monte Cristo, tocava na Gitana, Bar Corleonne e Bar Veccio, encerrando minha carreira como Dj secular em casas noturnas. 

 

 

 

 

Depois de um tempo, você passou a dedicar-se á eventos gospel, abandonando as festas e danceterias convencionais. Como isso aconteceu?

  

R: Em maio de 2004 me converti ao evangelho, abri mão do trabalho como Dj, pois tinha outra visão, e não fazia idéia de que existia o trabalho com Musica Eletrônica Cristã.

Durante essa caminhada, alguns irmãos sabendo do meu talento como Dj , me presentearam com um CDJ 200, investindo naquilo que eu sabia fazer, toquei em um evento no interior de são Paulo em uma praça  e por incrível que pareça, na mesma cidade estava acontecendo uma Rave com vários Djs. O público que estava na praça me prestigiando, não faziam parte dessa Rave, isso foi maravilhoso para mim e percebi que poderia alcançar jovens que estão na igreja e os que estão fora e também fazer com que eles tivessem uma percepção diferente.

 

Com as redes sociais, na época o MSN e ORKUT, fui abrangendo meus contatos com Djs Cristãos conhecendo de fato a música Eletrônica Gospel.  Desde então, tocava em eventos para jovens dentro das igrejas e compartilhava meu testemunho.

 

 

 

Fale um pouco sobre seus trabalhos e projetos cristãos atuais?

 

R: Em 2012 conheci o meu grande irmão e parceiro Dj Jonatas Monteiro e como o tempo criamos o Projeto Holy Groove Projetc , investindo na musica Drum N Bass Cristão.

 

Hoje temos apoio de muitos outros Djs, como nosso irmão Dj Rob Sarah da Gospel Tracks, que tem nos ajudado muito.

Representamos atualmente, os  Djs gospel do segmento de  Drum Bass no Brasil.

 

Ainda estamos buscando  espaço a cada dia  para mostrar nosso trabalho e com fé em Deus conseguiremos realizar esse sonho!

 

 

 

Gostaria de deixar uma mensagem especial á alguém ou ao público que o acompanha desde a época dos eventos seculares  até os dias de hoje?

 

R:Gostaria de agradecer á  você Debby , pela entrevista, minha esposa que me apoia em todos os sentidos e aos amigos que de forma direta ou indireta sempre me apoiaram e acreditaram no meu trabalho e no meu talento.

 

 

 

Confira a galeria de fotos de alguns trabalhos!

 

 

 

 

Conheça na íntegra alguns de seus trabalhos!

 

 

New Life Fest com DJ Gilson e convidados

 

 

 

Studio MZBR

 

 

 

Acampamento para jovens da igreja O Brasil para Cristo

 

 

 

Projeto Hole Project - Seven years

 

 

 

 

Please reload