Entrevista com DJ Andrey Santos

26/09/2016

 

 

Aos amantes do Oldschool, aqui vai um bate papo com o DJ Andrey Santos,  um dos criadores da Fuse web rádio,  que  desde o início , era uma rádio totalmente dedicada ao Underground, obtendo milhares de seguidores e que gerou oportunidade e espaço para que muitos DJs mostrassem seu trabalho.

 

Welcome, Dj Andrey!

 

 

 

 

Quando e como você iniciou seus trabalhos como DJ?

 

R: Em 1989 eu tocava nas festas de aniversário com tape decks com meu amigo Claudio Club. Época da Manchete FM, Nova FM, Radio Cidade e por ai vai.

 

Em 1992 (onde considero meu start oficial), a coisa ficou um pouco mais séria, montamos uma equipe, eu e meu parceiro Everaldo, onde já começamos a fazer nossas famosas festinhas "undergrounds" aqui na região de Ermelino Matarazzo.

 

Logo em seguida, meus brothers Edinho, Claudio e Oficio se juntaram. Se tinha um aniversário, fazíamos o som, levando tudo debaixo do braço, pois aqui na região, a cena underground sempre foi forte e todo final de semana rolava umas party´s, seja nas casas ou na famosa quermesse da Vila Cisper, era bem divertido.

 

 

Quais foram suas influências musicais no inicio e o que você toca atualmente?

 

R: Meu pai e meu tio tinham uma equipe de som aqui na ZL e rolavam estilos bem variados,  desde Soul Music, Disco ao Rock e acabou me influenciando e me direcionando no caminho musical.

 

Mas as rádios FMs foram as responsáveis pelo meu conhecimento  do bom e velho Flash-House.

O Julinho Mazzei, Beto Keller, Banana Banana, são profissionais que tenho o maior respeito e admiração , através de suas locuções, programas e músicas, me inspiraram e foram  responsáveis pelo meu conhecimento sobre o trabalho na rádio.

 

Daí para frente, veio a cultura underground em 92, onde acabei caindo de cabeça e até hoje mantendo essa chama acessa. Do House ao Jungle, tem muita coisa que não podemos deixar cair no esquecimento.

 

Às vezes, escuto coisas tipo, "Já era!", "Toca coisa mais nova!", "Tudo que você tem na sua case, eu resumo no meu pen drive"... (risos).

 

Faz parte, eu ouço muita coisa diferente, muitos sets diferentes, estilos, mas o que gosto de fazer e tocar é voltado a cena oldschool mesmo, que infelizmente aqui no Brasil é pouco valorizado, porém os que vivem essa cena, nos dão força para continuar.

 

 

 

Que parceiros o apoiaram no inicio e que estão ao seu lado até hoje?

 

R: Claudio, Everaldo, Edinho, Oficio, Alex, Sandro, Leandro, Everaldo Oife, Paulinho, Mingau, André, Fabio, Claudio Pipoca, Kleber, Pé de Rato, Nego, putzz... tem tanta gente daquela época que até hoje nos falamos e vira e meche estamos bolando algo. Marcelo, Junior, Beto, Ricardo Viera, Cangaiba, Santini, Waltrack, Hammer Kaos, Translate, Louiz, Bó... todos juntos na luta, sempre se respeitando e fazendo nossa parte na cena, até hoje.

 

São pessoas que agradeço por fazerem parte de nossos projetos e conquistas.

 

 

 

Muitos artistas reclamam sobre falta de oportunidade para tocar nas festas e dizem que só toca quem faz parte da famosa “Panela”. Você acredita nessa afirmação?

 

R: No mundo da noite é o que  mais tem! Todo DJ tem vontade de fazer parte e participar de  grandes projetos e festas legais.

Eu também desejei fazer parte, mas aprendi com o tempo que não há necessidade de fazer muita coisa que vemos por ai, só "pra fazer parte", isso pra mim é nojento!

 

Com o tempo, quem vive a cena , sabe quem é quem, principalmente, os famosos "arroz de festa" , os puxa sacos, aqueles que  prometem mas não cumprem, os ladrões de discos, fazem de tudo para fazer parte de um cenário mainstream associado ao underground e convenhamos, tem muito DJ assim infelizmente e que nem precisa disso e se submete!

 

As panelas podem ser tanto pelo bem, quanto pelo mal, isso existe, faz parte da cena e cai no conceito onde cada um faz sua parte!

 

Já reclamei sim uma época por elas existirem, mas aprendi a respeita-las e montei a minha também (risos).

 

Nunca deixamos de dar oportunidade a quem teve a paciência de saber esperar a sua hora.

 

Muitos DJs talentosos na cena, muitas vezes não tem oportunidade e a culpa é de quem pela falta de espaço?

É dos  DJs "tops medrosos" que  acabam boicotando os mais novos com medo de perderem o espaço e na verdade,  cada um faz a cena que representa, acho que as oportunidades para tocar nas festas, caso elas apareçam ou não, cabe a cada um de nós, fazer parte daquilo que realmente nos faz nos sentirmos bem.

 

Às vezes você vai querer tocar em um lugar que não é o seu público alvo, e se decepciona, acaba não valendo a pena. Toda essas atitudes e ocasiões criam as panelas, seja ela boa ou ruim, vai de quem vive a cena de saber escolher onde entra.

Havendo humildade e HONESTIDADE, as portas se abrem, as oportunidades aparecem com o tempo.

 

 

 

Você teve participação em diversos eventos de música eletrônica na zona leste. Quais foram os principais?

 

R: Tive participação em diversos eventos , inclusive bailinhos e projetos de garagem onde a galera comparece e curte o som de verdade, essas festas são realmente demais!

 

Algumas delas: Panic Night, Festa AME, Electronic Vision, Festa do Barulho, Flash Night e Revival Underground Party na antiga Toco, foi muito foda!

 

Nossos projetos Undergrounds foram: Street Party e Hiperballad Live, em parceria com vários amigos DJs, Wylfe Party, Contra-Attack, Groove4lovers, Corredor Cultural, Arte e Cultura na Kebrada, Eletro-Tintas, entre outros.

 

 

 

Muitos artistas já participaram da Fuse Web Rádio. Como surgiu a ideia de montar a rádio e quais foram os principais artistas que divulgaram seus sets até hoje?

 

R: A Fuse Web Rádio surgiu em 2010 e naquela época  praticamente não existia webrádio, eram bem poucas e tocavam as mesmas coisas. Basicamente a idéia foi montar uma rádio fora do que vemos hoje em dia, com um formato FM, vinhetas, aberturas, músicas editadas, dj sets, totalmente voltados ao cenário oldschool, onde pudéssemos difundir, mostrar, tocar tracks pouco conhecidas, esquecidas e também dar espaço a outros djs da cena underground.

 

Convidei meus amigos, Ricardo Vieira, Waltrack, Gordelas e Cangaiba, e fundamos o projeto,  graças a Deus deu certo, tiramos muita gente da tumba ( risos), e isso foi impagável !!!

 

Criamos o nosso espaço, houveram criticas construtivas e negativas, mas fomos pra cima e fizemos o que deveria ser feito.

 

Depois de muitas mudanças e reviravoltas, deixamos em stand by, mas quem sabe o dia de amanhã?

 

Por lá não passaram tantas pessoas quanto gostaríamos, devido a estrutura e o local, não dava pra trazer a galera com mais frequência até a rádio, aí bolamos um programa onde o artista tocava  diretamente de  sua casa, linkado conosco, era uma inovação na época.

 

Alguns Djs que tocaram ou participaram de programas em nossa rádio foram os Djs: Magno MM, Zaidan, Translate, Oficio, Claudinho Telles, Santini e  Jamilton.

 

Uma coisa que nos deixa muito feliz até hoje, é receber mensagens do público que nos acompanhou desde o início, pedindo o retorno da rádio.

 

 

 

Atualmente, quais são seus projetos?

 

R: Apenas minha família. Muitas coisas boas aconteceram nos últimos anos e acabei me afastando um pouco da cena em si, mas continuo por ai, ouvindo, tocando, pensando e esperando a hora certa de retomar  os projetos.

 

Acompanho muito o cenário internacional e estamos sempre agregando mais valores e informações.

 

 

 

Gostaria de deixar uma mensagem para quem está iniciando os trabalhos como DJ e também a alguém especial ou ao público que acompanha seu trabalho desde o início?

 

R: Seja firme, forte e dedicado ao que você faz na cena, não use a cena para ser maior que algo ou alguém. Respeite a hierarquia... música, DJ, público, pois você faz parte desse elo.

 

Se você é do cenário underground, faça com amor e seja consciente,vista a camisa com fé!

 

Se for do cenário "maisntream", pés no chão... suba devagar, olha onde pisa e seja correto com você mesmo e com os outros.

 

Público: Respeite a música, faça a pista acontecer... independente do DJ que está tocando, viva e sinta a música... alguém que você não conhece está tocando com amor, só pra ver você dançar!

 

A música tem o poder de nos levar a diversos lugares, do passado ao futuro, fazer se tornar o nosso presente, vivenciando épocas através do som.

 

Forte abraço a todos, e muito obrigado pelo espaço, Debby... sucesso!

 

 

 

Confira fotos de alguns trabalhos!

 

 

 

 

 

Confira vídeos de alguns trabalhos !

 

 

Underground Street Party

 

 

Groove For Lovers

 

 

 

Hyperballad Live

 

 

 

Please reload